domingo, 20 de dezembro de 2009

Hoje eu amanheci triste. Triste porque eu queria que as coisas tivessem dado certo. Principalmente porque eu achava que daria muito certo, depositei muitas expectativas e esperanças, e obviamente, porque eu gosto.

Ainda não tinha acontecido comigo. Namorar um amigo. Ficar, sim... namorar não. E é engraçada a forma como termina. Mesmo terminando de uma forma light pra ambos, nunca é uma coisa boa. Tipo, eu sei que foi melhor assim, mas isso não faz diminuir o vaziozinho que fica.

É, honey, só quero que tudo de bom aconteça pra nós. E que nossa amizade fique.

Porque a vida é complicada. E eu também.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Vontade de aprender a tocar bateria só por causa dessa música!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Eu quero...

... ir no jogo de despedida do Danrlei nesse sábado. Mas tenho formatura da minha melhor amiga de infância.

E agora?

(A) Vou ao jogo, de vestido de festa com a camisa do tricolor por cima, assisto o primeiro tempo e chego na formatura com a cara queimada de sol, tipo uns 15 minutos atrasada?

(B) Faço um clone de mim pra poder estar nos dois lugares ao mesmo tempo? (essa é boa)

(C) Vou ao jogo, assisto os dois tempos e preparo o meu túmulo para o dia seguinte?

(D) Assisto ao jogo todo, chego só pra recepção amarrotada, suada, de cara vermelha do sol e levo um gelo de uns 10 anos?

(E) Não vou ao jogo e assisto à toda cerimônia! (É, vai ser essa opção mesmo... se bem que um clone ia bem numa hora dessas....)

Ah, e como não poderia deixar de faltar:

Inter - o centenário do vice!!!

Música da manhã!

Achei o clip mto fofo!!

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Bom, vamos lá...

Respondendo ao meme do nelsinho que era da adrib.

Há dez anos

Eu tava terminando o segundo grau, com 16 anos, prestes a fazer meu primeiro vestibular. Já morava onde moro hoje, morria de medo de não conseguir entrar na UFRGS, morria de medo da minha primeira vez, morria de medo de dirigir, morria de medo de várias coisas. Era a melhor aluna da turma mas isso nunca me trouxe popularidade, exceto entre os familiares. Eu era muito tímida, tinha poucas e bem selecionadas amizades. Já tinha saído do ballet clássico depois de 7 anos sofrendo na sapatilha de ponta. Foi nesse ano, em 1999, que aprendi a nadar e que comecei a ter meus namoricos. E que também me pegava na dúvida cruel: Odonto ou Medicina?


Há 5 anos

Estava no último ano da faculdade. Uma fase muito boa da minha vida. Muitas, mas muuuuitas festas, muitos rolos, ficantes, amigos, bebiba. Já não tinha mais medo das coisas e da vida. Tinha amizades aos montes. Já tinha ganhado minhas mais de 20 medalhas de natação, que de hobby passou a esporte de competição. Não tinha mais medo de dirigir e não era (graças a Deus) a melhor aluna da classe (o que também não me trouxe popularidade). E descobri que popularidade não é comigo, não gosto. Prefiro ficar na minha, passar despercebida. Já tinha certeza de que Odonto seria a minha vida.


Há 2 anos

Foi um ano muito difícil emocionalmente. Começou totalmente torto. Já formada há 2 anos, trabalhava no meu consultório (e ainda trabalho) e numa clínica. Já tinha comprado meu primeiro carro com o fruto do meu suor e das minhas dores de coluna por causa da posição de trabalho ingrata da minha profissão. No fim desse ano de 2007 comecei um namoro que logo se tornou transcontinental, conheci um dos meus melhores amigos de hoje, titubeei em relação a Odonto e fiz cursinho para tentar vestibular pra Medicina, mas voltei pra realidade e passei a procurar investimentos na minha área mesmo. Estava terminando o curso básico de italiano.


Há 1 ano

O namoro que já não era mais transcontinental não estava bem, o fim logo chegaria. Eu já estava na especialização, a qual ainda estou cursando, perto de acabar. Fui contratada por uma clínica que funciona direitinho e paga bem. Há 1 ano eu estava muito estressada com o acúmulo de trabalho e tinha jurado pra mim mesma que diminuiria o ritmo (coisa que só consegui cumprir semana passada).


Ontem

Ontem eu atendi os pacientes na pós-graduação, comi sanduíche do subway, conversei com meu amigão enquanto eu montava a apresentação de sábado, passei as fotos dos pacientes pro PC, atualizei as pastas dos mesmos. Enfim... só coisas de trabalho e especialização. Fiz as pazes com meu colega da serra, dei carona pra outra colega, peguei tranqueira na ida pra aula, troquei sms durante o dia com o honey, vi que meu carro - que já não é mais o primeiro - tá precisando de um banho urgentemente, combinei a festa do dia 15, comprei presente de amigo secreto, percebi que o Natal taí e não comprei nada ainda, lembrei que a Desi se forma dia 12 e tb não comprei nada ainda.... Vixi... é tanta coisa.


Amanhã

Bom, amanhã vou atender durante toda a manhã, quero fazer pé e mão no horário do almoço, descobrir se o sushi lounge ali perto vai estar aberto, tenho que assistir 2 palestras à tarde, sendo que a segunda terminará às 22h (e vou matar pq tenho amigo secreto), vou no amigo secreto da minha turma de italiano, PRECISO correr um pouco na rua pra desopilar a mente e apenas dizer: "Let it go 'cause I don't care." Continuarei sem medo da vida, não sendo popular, selecionando minhas amizades. Permanecerei tocando a vida da maneira mais real e concreta que eu sei fazer.


Cinco coisas sem as quais não posso viver

- minha família que, pra mim, é perfeita (ou quase)
- meus amigos
- meu trabalho
- amor (no sentido mais amplo que essa palavra possa ter)
- minhas memórias, lembranças e meus sonhos


Cinco coisas que eu compraria com 1000 reais (Putz... só mil?)

- alguns livros de implantodontia
- quitaria as duas últimas parcelas do meu instrumental cirúrgico (e ainda sobraria)
- um contra-ângulo para fazer tratamento de canal (facilitaria muuuuuito a minha vida)
- tá, tá.... roupas e maquiagem
- sei lá.... mais livros? (mas não de Odonto)


Cinco maus hábitos

- gastar metade do domingo dormindo
- ficar de bobeira na internet, leia-se msn, em vez de fazer algo produtivo
- preguiça
- ser neurótica com horários
- comer besteirol demais em hora errada e abusar da bebida às vzs


Três coisas que me assustam

- solidão
- o ódio que habita o coração das pessoas
- baratas


Três coisas que estou vestindo nesse momento

- calça branca
- blusa branca
- relógio


Cantores ou bandas preferidas (tenho milhares)

- U2
- Chico Buarque
- Coldplay
- Mana
- Tom Jobim, vixi... e por aí vai


Três coisas que realmente quero agora

- cafuné
- mais cafuné
- viajar pra poder comer os cones orientais da Mariana


Três lugares onde quero ir nas férias:

- Caribe
- Irlanda
- Grécia


Pessoas escolhidas:

- sei lá... nenhuma... de quem eu sou realmente amigo não preciso ler meme pra conhecer.

domingo, 29 de novembro de 2009

Just don't let me down...

Sentimentos são complicados. Mulheres são (somos) complicadas. Porque aquilo que pode deixá-la super feliz num dia, no outro pode deixá-la furiosa. Ou ela pode dar a mínima, dando a impressão de que o esforço dele não valeu nada.

Não existem mulheres simples. Algumas até se mostram fáceis de serem compreendidas, mas isso não dura muito tempo. Porque o cérebro de uma mulher é conectado ao coração. As coisas acabam se misturando e isso foge do nosso controle. Nosso cérebro não funciona como caixas com gavetinhas para cada assunto. Aqui dentro acontece tudo ao mesmo tempo, tudo está interligado, todos os assuntos têm relação com todas as coisas.

Mas se alguém achou que algum dia entenderia por completo as mulheres... coitado. É um desavisado e está perdido. Quem disse que as mulheres precisam ser entendidas? Mulheres precisam ser amadas, isso sim. Porque é justamente esse nosso turbilhão de sentimentos e pensamentos que movimenta as coisas. A rotina, a monotonia... isso acaba com tudo. Acaba com o fogo, a paixão, o tesão de voltar pra casa e ver o(a) amado(a).

Mulheres não serão entendidas porque nem nós mesmas nos entendemos. Creio que quem chegou mais perto foi Vinícius de Moraes e depois dele o Chico. Não é à toa que Vinícius foi um pegador casamenteiro e o Chico o é até hoje. Mulher é intensa, é amante, é cúmplice apaixonada. Porque quando ela ama ela é a melhor companheira, a melhor parceira, a melhor na cama. Não existe frio nem morno, só o calor.

E ela é linda. Ela se cuida, se pinta, se arruma pra você. Porque ela quer você. É em você que ela pensa, é de você que ela sente saudades, é com você que ela sonha. É com você que ela quer sair, que ela quer ficar. E isso não precisa ser entendido, só precisa ser sentido, ser vivido. Porque dessa vida só ficam os momentos que vivemos. As horas boas, as horas não boas. As pessoas, amigos, amores, paixões platônicas e não-platônicas. E as melhores são as platônicas que se tornam tangíveis.

Porque nada é impossível. Porque é tudo um labirinto. Porque a vida é rock'n'roll. E eu também. Porque eu sou uma aprendiz do wolf. E eu quero um chico buarque pra mim também. Porque eu também não me entendo... mas eu sei o que quero que você faça comigo.

Porque o que vale é a sinceridade. É o movimento. O que importa é o que é real. Porque o mundo gira.

E ele gira em torno de nós, mulheres.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Minhas parceiras de sexta à noite!









É linda demais, demais... Chico, Chico... ah, Chico... Sem palavras.

Quero ficar no teu corpo
Feito tatuagem
Que é prá te dar coragem
Prá seguir viagem
Quando a noite vem...

E também prá me perpetuar
Em tua escrava
Que você pega, esfrega
Nega, mas não lava...

Quero brincar no teu corpo
Feito bailarina
Que logo se alucina
Salta e te ilumina
Quando a noite vem...

E nos músculos exaustos
Do teu braço
Repousar frouxa, murcha
Farta, morta de cansaço...

Quero pesar feito cruz
Nas tuas costas
Que te retalha em postas
Mas no fundo gostas
Quando a noite vem...

Quero ser a cicatriz
Risonha e corrosiva
Marcada a frio
Ferro e fogo
Em carne viva...

Corações de mãe, arpões
Sereias e serpentes
Que te rabiscam
O corpo todo
Mas não sentes...

O turbilhão voltou

A festa acabou. O id foi novamente oprimido pelo meu super ego idiota. Eu já sabia que eu ia ficar assim. Faz parte do processo. Sim, porque tudo é um processo. Da outra vez também foi assim. Daí tenho que ter paciência (como se fosse fácil) e esperar passar.

Porque tem coisas na vida que não são como a gente quer. E eu tenho que aceitar e aprender isso de uma vez por todas. What a damn fuckin' shit, isso é o que é. Porque eu queria poder mudar o que eu bem quisesse na vida. Eu mudaria os fatos, as pessoas, as datas, as cidades. Quem estiver lendo vai achar que sou uma baita criançona, infantilóide incorrigível. But I don't care. Sou movida a isso.

Sou movida a música, filmes, desafios que eu mesma busco e, às vezes, quebro a cara. Mesmo que eu não jogue pra perder, tem vezes que é mais sensato tirar o time. E isso nem sempre me deixa feliz, mas fazer o quê... Não pode ser tudo como eu quero. Mas isso não vai durar muito, não.

Porque eu preciso me sentir viva. Eu não estou aqui só de passagem. E nem você. Porque tu tem o teu lugar no universo e precisa cumprir o teu papel. Porque esperar as coisas caírem do céu e ficar vendo a vida passar não tá com nada. Não tem graça, não tem gosto, nem cheiro. Não tem sorvete de flocos, não tem gosto adocicado. Não tem nada.

E eu ia matar esse blog. Mas desisti. Porque ele sou eu. E ninguém mais.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Coisas minhas...

Abro mão dos passeios.
Abro mão das programações de viagem.
Abro mão dos jogos tricolores, lá e cá.
Abro mão até mesmo dos cones orientais da Mariana e de todo o restante que aconteceu.
Mas da tua amizade, meu amigo, essa jamais eu vou abrir mão, jamais deixarei alguém interferir nela. Porque essa amizade, que só eu tenho, essa ninguém tira, não divido com ninguém, não tem olho gordo que estrague.
Porque essa amizade e tudo que veio com ela, vai ficar pra sempre no meu coração. E mesmo que ela não seja igual ao longo dos anos, ela sempre existirá.

E tenho dito.

domingo, 8 de novembro de 2009

Engraçada a forma como a vida nos prega peças.
Engraçado também o instinto de auto-preservação da pessoa.
Instigante a velocidade que meu pensamento muda.
Instigante perceber, de repente, que depois de 2006 eu nunca mais fui a mesma.
Irônico como as pessoas aparecem na minha vida e eu não consigo mais ser como eu era antes.
Irônico ser, como já me disseram ser, complicada e perfeitinha.
Irritante tentar e não conseguir ser como eu era até 2006.
Irritante ser impotente a ponto de não poder fazer o tempo voltar.

sábado, 7 de novembro de 2009

Drops cariocas...


Café na confeitaria Colombo.



Trocando idéia sobre a situação do tricolor com o Drummond.



Carregando as energias na Pedra do Leme.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Só pra constar.


Madureira que me perdoe, mas foi palhaçada total o jogo entre os tricolores ontem à noite. Mesmo eu gostando do tricolor paulista, antes de tudo vem o meu tricolor gaúcho (que por sinal jogou muito melhor). Porque raça não se compra ali na esquina. Porque ter que engolir gol que não foi marcado é foda. E ficar ouvindo comentário idiota do Rogério ninguém merece. E ver jogador do SP dando porrada porque não sabia mais jogar dá dó. A única coisa boa é que o resultado não favoreceu o inter. Só isso. Sei que meu tricolor não alcança mais o G4. Mas, por outro lado, o inter também já perdeu o título.
Mas tudo bem, libertadores tem todo ano. Já, já a gente entra.
Jamais nos matarão.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Snif....
Voltando pra POA.
Snif, snif...

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Agora sim, tudo azul!

"Eu sou do meu tricolor, o meu único amor."
"Nada pode ser maior."
"Jamais nos matarão."
"Dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe, Grêmio, dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe ô"

Agora sim, tudo azul!!! Ontem quase foi a rodada perfeita. Mas bastando o meu tricolor vencer e o inter perder, já tá ótimo!

Mais ótimo ainda é que vou pro Rio. Daqui poucos minutos estou indo pro aeroporto. Mini-férias (ainda não aderi às novas leis gramaticais).!!!

Bom, e o coração tá bem, super bem. Melhor do que eu pensava pra esse 2009 que eu já tinha como perdido.

Até a volta!

domingo, 25 de outubro de 2009

Findi bom.



Minha cidade, às 8:30 da última sexta, sobre o viaduto da rodoviária, aguardando a tranqueira passar.


Hoje é dia do dentista. Ontem eu tava mega revoltada com a profissão... mas já passou. Sempre passa. Agora é esperar o resultado da seleção que só sai em janeiro.

Ontem a cirurgia da tarde foi um sucesso, com alguns contratempos, mas foi um sucesso.

O resultado do grenal foi uma merda, mas como postado abaixo, repito: "Jamais nos matarão!"

A dor de garganta galopante continua. E continuo acompanhando o site do ocidente pra ver quando terá o show da Roda Viva, que mal posso esperar pra conhecer. E quero ver de novo "Bastardos Inglórios".

Seja bem-vindo, Gui! Mais um escorpianinho chegando na área. Parabéns Elizane!!!

E, pra quem achava que 2009 estava perdido pros assuntos do coração, que bela surpresa não tive ontem... mas não tá na hora de falar sobre isso aqui no Devaneios.

Enfim... tá tudo bem, tá tudo certo, tá tudo feliz. Tá tudo (quase) azul!

domingo, 18 de outubro de 2009

terça-feira, 13 de outubro de 2009

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Os príncipes não existem. E nem as princesas.

Mas isso é uma coisa óbvia demais. O que existe é uma combinação: um(a) guri(a) in love, um(a) cara qualquer (ou não) e máscaras. Não uso o termo mácaras como representativo de falsidade ou hipocrisia, mas sim para descrever que ninguém é totalmente verdadeiro (principalmente na hora da conquista). Ninguém sai por aí mostrando seus defeitos, imperfeições e manias. Todo mundo que está na luta da conquita só vai mostrar aquilo que tem de melhor e, quem está na onda de ficar apaixonadinho(a) vai gostar e acreditar no que está vendo.

É sempre assim. Daí se tudo termina o outro sai dizendo: "Ah, mas eu nunca imaginei que ele/ela fosse desse jeito. Estou surpreso(a)!!!" Bobagem pura. A gente banca a vítima, mas no fundo tem que ser ingênuo(a) demais pra se surpreender com esse tipo de coisa. Por um simples motivo: não existe pessoa perfeita. Nem príncipe, nem princesa. Mesmo porque se todos fossem perfeitos seria muito chato. Por outro lado, não acho que todo mundo seja sapo ou rã. Na real o que tem mesmo é gente comum, com qualidades e defeitos, manias e muitas lições pra aprender vivendo em sociedade. Seja solteiro, casado, viúvo, hetero, bi ou homo.... sempre viveremos em sociedade e é dentro dela e com ela que aprenderemos nossas lições.

Ninguém nasce pronto(a). Todos precisamos de ajustes. Portanto, se tu tá achando que encontrou o cara ou a guria perfeito(a)... sai dessa! Tu deve tá achando isso porque ainda não deu tempo dele(a) te mostrar a pessoa normal que é. Falo isso tanto no aspecto físico quanto pessoal. O cara da tua vida pode ser um baita estressado no trânsito, pé-de-chumbo, que sai buzinando e falando palavrão pra todo mundo. Ela pode ser cheia de mania com as coisas dela e roncar de noite. Ele pode ser barrigudo, usar roupas que ficam péssimas nele e fumar 2 carteiras por dia. Ela pode ter milhares de celulite, estrias e ter chulé. E daí?? Grande bosta. O que nos aproxima são as diferenças. É com elas que aprendemos a conviver e é delas que aprendemos a gostar.

Porque ninguém é perfeito. E porque quando a gente ama alguém de verdade... isso não importa porra nenhuma.


"And I want my scalps!"


Filme de Quentin Tarantino totalmente Tarantino e inteligente, como não poderia deixar de ser. Menos sanguinolento do que o trailler prometia, com direito a Brad (hot) Pitt fazendo sotaque de yankee e projetando o queixo a toda hora. O filme girou bem menos em torno dele do que eu pensava. Nada de um personagem principal apenas, na verdade, o filme foi desenrolado em capítulos, com diversos personagens importantes em cada um deles. Não dá pra dizer que teve um baaaaita enredo, mas é um filme muito bom, focado, que não se perde na trama e não é apelativo. Tem até alguns poucos momentos onde se dá risada e, quando se pensa que tudo vai melar no filme, as coisas andam bem. Veja o trailler aqui.

Dica: muito bom o tal do Applebee's ali do barra shopping. Indico os palitos empanados de mussarela e o frango ao molho de mostarda com mel, o qual esqueci o nome. Sobremesas boas: chocolate meltdown e a torta de maçã com sorvete e calda de caramelo. Segundo minha amiga Larissa, é a cópia do OutBack.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Sexta boa.

Coisa bem boa beber com pai e mãe, em casa. Além de não correr o risco de ser assaltada ou pega numa blitz, é muito mais barato que beber na rua. E deixo aqui uma mini seleção do que tocou durante nossa rodada de trago, regada a vinho e espumante. Pai, mãe, mano... amo vocês! E amo estar com vocês!

















Foi só um resumo mesmo... porque tocou mais de 2 horas de música...

domingo, 27 de setembro de 2009

Ode ao(s) amigo(s).

Eu nem ia escrever aqui hoje, sabe... Mas eu tive que vir. Eu vim pra fazer um brinde à amizade.

Sim, porque eu coloco as minhas amizades no mesmo patamar da minha família. Tem gente que dá mais valor pra namorados, rolos, ficantes, amantes ou qualquer coisa do gênero. Mas se existe uma coisa que aprendi com meu primeiro namorado, há 8 anos, foi que "namorados vêm, namorados vão... mas os amigos sempre ficam." De fato, essa foi a única coisa que eu guardei daquele namoro.

Vim pra brindar as amizades antigas, as recentes, as mais ou menos antigas e recentes. Brindo às amizades confidentes, às amizades que eram muito amigas e que hoje estão meio afastadas, também brindo às amizades que estão na Europa ou em qualquer canto desse Brasil. Brindo às amizades da época do colégio, da época da praia, do cursinho ou da faculdade. Brindo às amizades próximas e às distantes. E àquelas que são distantes e muito próximas ao mesmo tempo.

Brindo às amizades confidentes (de novo), às eventuais e às não- confidentes. Também brindo, como não poderia deixar de ser, às amizades virtuais. Sim, porque nos dias de hoje, temos muitas amizades virtuais. E digo que uma delas eu preferia que fosse mais real, com menos web cam e mais face to face.

Só não brindo às amizades oportunistas, egoístas, esporádicas. Amizades onde não há confiança, onde só há fantasmas, interesse próprio. Acho que tive pouquíssimas "amizades" como essas. Julgo-me muito feliz por ter amigos. E com "A" maiúsculo. Principalmente os confidentes, que, às vezes me deixam triste, às vezes somem um pouquinho, me magoam, mas que sei que são meus amigos de verdade.

Mas o meu amigo mais amigo, mais presente e longe ao mesmo tempo, que me diz as verdades, que me aguenta com minhas confidências, com meus devaneios de "meninona", que me elogia quando tem que elogiar e ralha comigo quando tem que ralhar (até que é pouquinho) é o Zé. O Zé é uma das pessoas mais bonitas que eu conheço, com seus defeitinhos (mas quem não os tem?), ficou meio lerdinho de algumas semanas pra cá (mas isso não é culpa dele, é culpa do lexa), mas eu amo muito ele, com defeitinho, lerdinho e teimosinho (mal do nosso signo). Eu vivo dizendo pra ele ficar gel mas não adianta porque ele encana sempre. Ele tem um futuro muito bonito pela frente porque vai conquistar um monte de coisas legais além daquelas que já conquistou. A vida dele vai ser muito bonita e ele sempre me dá conselhos pra minha vida ser bonita também, diz pra eu largar de mão algumas coisas que trancam a minha vida, diz pra eu usar só a bota, sem a faca (juro que estou me esforçando!!!). Ele se preocupa comigo porque é meu hermanito. Meu hermanito tricolor doente, bairrista, que adora inticar comigo na semana Farroupilha e que tem um saldo devedor para com a minha pessoa. Saldo esse que acabou de ser zerado depois da última conversa (se bem que eu gostaria de receber esse saldo, hehehehe). Hermanito, já fechamos em dezesseis, superamos todos os outros.

Obrigada por existir, tu mora no meu coração.

PS: a imagem que eu queria publicar não vai dar pra publicar. Sorry.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Get off of my cloud!

Tentando não surtar.
Tentando me controlar quando vejo crueldade com os animais.
Tentando não odiar quem os maltrata.
Tentando respirar beeeem fundo antes de dizer uma dúzia de verdades.
Tentando ser mais tolerante com quem não merece a minha tolerância.
Tentando suportar as falsidades, máscaras e risos amarelos.
Tentando entender mais as pessoas.
Tentando ter paciência, muita paciência.
Tentando fingir que está tudo bem.
Tentando me aproximar daqueles que sempre vão estar aí pra mim: minha família.
Tentando ler mais e teclar menos.
Tentando pensar um pouco menos na vida.
Tentando não odiar os políticos.
Tentando escrever a monografia.
Tentando controlar emoções, afetos e desafetos.
Tentando aprender alguma coisa com todo esse meu "tentar".
Tentando, enfim, manter a calma.

Enchi o saco da noite.
Enchi o saco das baladas.
Enchi o saco de gente artificial.
Enchi o saco de ver injustiças.
Enchi o saco de ver como as pessoas possuem valores deturpados.
Enchi o saco de ver gente que se aproxima dos outros por interesse.
Enchi o saco de ver como a maldade está aí pra quem quiser ver.
Enchi o saco de dar a cara pra bater.
Enchi o saco das mentiras que me contam e tenho que fingir que acredito.
Enchi o saco de não ser valorizada.
Enchi o saco de fazer dieta.
Enchi o saco de ficar de saco cheio.

E enchi o saco desse post.

Música do momento, a única coisa que se salva desse post xarope, mas que eu precisava escrever:

Saindo BEP, entrando Coldplay com Viva la Vida.

domingo, 20 de setembro de 2009

TRICOLOR. E ponto.


Coisa bem boa ver meu tricolor meter 5 no flu. Apesar de ter passado duas horas com o sol batendo no rosto, valeu a pena cada minuto. Agora sim, rumo ao G4!!!! E torcer pros maloqueiros do curintiã ficarem entre os 4 pra virar G5. Pra tudo ficar perfeito só falta o inter cair do grupo... daí sim!! Fica tudo azul. Ainda bem que meu tricolor não me decepciona porque já tem coisa demais me deixando down...

Um videozinho pra descontrair.

Boa semana!!!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Micos à parte.

Maior mico da vida é uma mulher (no caso, eu) é ter de levar seu carro - sozinha - pra resolver um problema da direção hidráulica.

Bom... da outra vez que levei pra verificar um barulhinho no painel (cujo veio de fábrica), o carinha lá me fez engolir que era uma 'característica inerente ao produto'. No cú, papagaio!!! Desde quando um carro zero vem com um barulhinho característico de brinde??? Daí o tiozinho me sugeriu verificar o tal barulho na revisão pra eu não ficar sem o carro e blá, blá, blá....

Então, hoje, de novo, levo meu carrinho fofo, com cheirinho de novo, menos de 5mil km rodados, pra Metrovel. Tá... no caminho eu torcendo: 'tomara que não seja o mesmo atendente da última vez'. Lei de Murphy, óbvio. Não sei se é só comigo, mas sabe quando tu conversa com o mecânico, tentando explicar com muita dificuldade o que tu tá sentindo de estranho no teu carro, e, a impressão que te dá é que o infeliz tá pensando: "Sim, dona.... eu sei que tu é doida e tapada... não sabe nem de que porra tu tá falando."

Buuuuut, hoje foi diferente. O cara já quis ver meu carro na hora. Foi tri atencioso, examinou tudo lá, me fez mil perguntas. Daí meu celular dando bip de mensagem, meu pai ligando e o cara lá me indagando coisas de carro sobre as quais não tenho a mínima noção. E o celular mandando eu me virar. E eu lá no meio dos mecânicos, de roupa branca de trabalho (devo ter emagrecido uns 2kg, hasuhaushauh), com o cara tagarelando e eu precisava ir ao banheiro. OH, LORD!

Bom... eis que o tiozinho ressurge falando alguma coisa da coluna como se fosse a coisa mais natural do mundo. E eu pensando: "E carro tem coluna? Achei que só existissem colunas famosas na Grécia." Me rendi:

- Que coluna?
- A coluna da direção hidráulica, que une os rolamentos. Sabe?
- Ahhhh, sim... rolamentos eu conheço. Tá, e que tem isso?
- Bom... tem que como a coluna tá encurtada, os rolamentos se encostam, causando o ruído que tu ouviu e deixando a direção mais pesada, tal qual me disseste.
- Huuummmm. E???? (penso eu: 'coluna encurtada? Manda pro ortopedista')
- E que isso pode travar a direção enquanto tu estiver dirigindo o carro e causar um acidente. Portanto, é bom que tu não use o carro.
- Sim, isso eu sei, né... (Também não sou tão idiota assim pra negócio de carro). Bom, então vou deixar o carro agora já, né.
- Pois, moça, não sei quando vou conseguir te entregar. Mas assim, ó, leva o carro e me traz segunda-feira porque mesmo tu deixando aqui agora, não sei se tenho as peças pra trocar a coluna.
- (Chama logo o ortopedista porque já vi que tu não manja de coluna). Tá, mas o que adianta eu levar o carro se não posso usar??? Eu deixando ele aqui tu já vai arrumando aí o que precisa e já bota o tal do protetor do (Jimmy) carter.
- Tá... beleza então. Coloco o prazo de entrega pra amanhã, 17h.
- Tu não acabou de dizer que não tinha as peças?????
- Façamos assim: eu te ligo.
- Tá. (Oh, Lord...). E o protetor do carter?
- É cem pila, já incluo na ordem de serviço.
- Certo... E... (er), a direção e a tal peça que precisa (glup), vai me custar alguma coisa? (Nessa hora, mulher de branco sabe se aproveitar e faz um olhar de moça pobre, indefesa e trabalhadora. Pelo menos nisso a gente tira vantagem, né?)
- De maneira alguma, moça. Está na garantia. Olhamos teu carro por baixo e vimos que não tem sinal de batida ou danos. A senhora lembra se passou por algum buraco com ele?
- Não, não. Sou super cuidadosa. ("Fala sério, 'ALGUM' buraco?? Devo ter passado em vários.")
- Então tá combinado. Cem pila do carter, só paga na retirada.
- Pra amanhã, então? Final da tarde?
- Isso mesmo, eu te ligo.
- Uhuuuu, balada no sábado! (ops... ele não ouviu isso.)

Moral da história: já que os homens nos acham tapadas pra assuntos de carro (no meu caso com razão), aproveitem-se da situação, façam-se de coitadinhas pra, pelo menos, pagar menos.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Linda

Tanto a música quanto a Beyoncè. E dessa vez, pelo menos, ela não cantou música de mulher objeto. Finally!

Foi dada a largada.

Hora de botar as idéias em ordem. De uma vez por todas.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

domingo, 13 de setembro de 2009

Missão possível


Até que não está sendo tão difícl como eu pensei que seria. Organizar as idéias da maneira correta (e isso é importante salientar) nunca foi o meu forte. Buuuuuuut, encher a cabeça com trocentas coisas tem ajudado. Não parar em casa também. Escrever minha mono também. Sair pra correr na chuva, como agora, também ajudou. Só espero não ficar doente porque cheguei em casa no clássico estado de "pinta molhada", causando crises de riso nas visitas.

Várias doses de etanol, descargas de adrenalina na aula de boxe, serotonina pós-corrida (não, não... no sex) seguram meu estado emocional frágil e instável. Meu fígado que vai reclamar daqui uns anos. Mas é temporário. Na semana que segue já controlo a bebida. Voltarei ao estado de auto-internação na academia, no trabalho, nas aulas.

Ir ao cinema ajuda muuuuuito. Ainda mais quando é pra ver o gatéééérrrrrrrimo Gerard Butler, in The ugly truth. O cara é um baita safado, com cara de safado, lindo, com jeito de homem mesmo, sabe... Resumindo... é aquilo que a mulherada curte de vez em quando. Porém, o bonitão não segue com esse perfil até o fim do filme. Tá, tá... não vou contar mais nada. Assistam. Tipo de comédia romântica que não é melosa, portanto, a ala masculina vai curtir. E o filme é recheado de verdades sobre o mundo dos relacionamentos.

No mais... é isso. Deixo um top 3 aqui pra encher os olhos da mulherada.

1- Gerard Butler (what a damn hot fuckin' guy... oh Lord)


2- J. Depp, em duas versões... uma melhor que a outra.




3- Eric Winter, que pra mim era desconhecido até vê-lo em "The ugly truth", com abdomen malhado e um nu dorsal bem interessante.


Se tem algum representante da ala masculina lendo esse post... desculpe-me... mas sei que as gurias curtiram!

E segue rolando BEP, I gotta feeling.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Querido diário...


Tchê... depois de um feriadão totalmente bipolar... eis que é necessário voltar ao trabalho. BLÉ!!! Saco. Enfim, vamos lá.

Depois de precisar ouvir umas 857 vezes a música "I gotta a feeling" pra melhorar meu humor eu já estava atendendo o primeiro da manhã. Bom, confesso que hoje foi tudo excelente no trabalho, tudo muito certo, dentro do planejado. Sim, porque um capricorniano que se preze não gosta nem um pouco quando as coisas saem do seu controle. E eu, claro, não fujo à regra. Canais, extrações, diagnósticos... tudo na mais perfeita ordem.

Agora preciso organizar as contas a pagar, que por sinal, nunca diminuem. Oh, Lord. Morra trabalhando. Mas é bom trabalhar porque a gente fica focada nisso e evita pensar bobagem. Os eventos sociais estão chegando: casamento, férias em floripa, férias no rio. Não vejo a hora, afinal, também sou filha, né?

E que saudade eu tava da academia! Nossa.... nem se fala. Dar socos é muito bom! A gente chega em casa levinha, calminha, um doce! Até acalma o meu jeito "faca na bota" de ser.

Teve algumas tensões no trabalho com as quais não vou neeeem me preocupar... mesmo porque não há o que eu possa fazer pra resolvê-las, foge da minha alçada. Agora... dependendo do desfecho disso tudo... a casa vai cair! Isso eu garanto.

Também sinto que se aproxima o momento de eu voltar pra terapia. Eu sempre soube que preciso voltar, mas agora eu sinto esse momento bem perto. Buuuuut... a terapia vai ter que esperar até novembro, que é quando vai sobrar algum dindim no fim do mês.

De resto... bem, de resto, estou fazendo aquilo que tenho vontade. Foda-se mode is on again. Foda-se o que outros pensam, foda-se se quero viajar mas tô com pouca grana, foda-se os 18 pontos em multas na minha carteira. Na boa, eu neeeeeem tô. "Deixe que pensem, que digam, que falem... deixa isso pra lá, vem pra cá. O que é que tem??"

Bem nessas. Mas agora, falando de coisa chata. Meu... como gente fraca e covarde me irrita!!! Sabe aquele ex-namorado que ficou com mágoa ou sei lá o que, e resolve mandar 'indiretas' por entrelinhas?? Tchê... fala na cara!!! E larga de ser frouxo! Ou então segue teu caminho bem longe de mim.

Pois bem... acho que por enquanto é isso. Esse fim-de-ano promete, algo me diz isso. Tem coisas no lado profissional que, se derem certo, vão dar uma boa mexida na minha vida. E dar uma mexida na vida é o que eu mais amo fazer!!! Porque eu estou cheia de VIDAAAAAA!!!!! Totalmente pimenta, mas da rosa!

Boa semanita!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Historinha

Ela ia pela avenida da cidade grande, olhando as vitrines, deslumbrada, amando tudo aquilo que via e pensando no agora. Até o momento em que ela parou diante de uma vitrine. Era a vitrine de uma loja de móveis. Natália postou-se em frente à loja e começou a projetar a sua futura casa ali mesmo. Até o momento em que um homem sentou-se no seu futuro sofá e (que ousadia!) colocou o pé sobre o estofamento. Natália bateu na vitrine e mandou-o baixar o pé pois aquele sofá seria dela. Ele responde: "Sou o arquiteto da loja." Grande coisa", pensa ela. Mas... através dessa vitrine de móveis e decoração começa a surgir uma amizade. Todos os dias Natália passava por aquele caminho e, o que um dia começou com uma repreensão por parte da guria, transformou-se numa grande amizade repleta de confissões. Em seguida o arquiteto ofereceu-se pra projetar a casa de Natália. Ela aceitou. Tudo ia bem até que ela cansou-se da amizade através da vitrine; queria mais. O arquiteto saiu de sua vitrine, que mais funcionava como uma redoma de vidro, e levou Natália pela avenida. No caminho encontram Rodrigo que andava triste há anos. O arquiteto e ela entram em um lugar chamado Cana Caiana onde está tocando Fé cega, faca amolada do Gil. Bêbados caídos preenchem o lugar e Natália pede pra ir ao banheiro. Na volta, o arquiteto leva a guria pro lugar preferido dele: o lugar de onde ele a via de forma protegida, sem riscos. A vitrine da loja. Natália foi até lá. E deu-se conta de que jamais conseguiria viver naquele lugar. Despediu-se de seu amigo arquiteto e, no mesmo instante, Rodrigo passou. O arquiteto perguntou por que ele havia parado de fazer o que fazia de melhor: contos infantis. Rodrigo respondeu que depois que sua esposa se foi ele virara judeu e também passara a viver em uma vitrine, porém, bem mais escura que a do arquiteto. Natália seguiu andando pela avenida que era só sua até que acordou ao som que vinha da cozinha. Era a sua mãe catando "Sozinho", do Caetano. E quando ela acordou, viu que tinha lágrimas nos olhos. Eram lágrimas de saudade.

domingo, 6 de setembro de 2009

Felice!!!!!


Meu... eu tô muito feliz. Mas feliz como há muito eu não me sentia, sabe... Eu estava achando que odiaria Sampa. Mas eu A-M-E-I.

Amei tanto aquela cidade que pretendo voltar antes do Natal. E isso que não cheguei a conhecer a noite paulistana. O congresso estava bom e tal... mas eu queria mais que o congresso. E, de fato, eu tive mais que o congresso. Ganhei um city tour com meu mais novo guia turístico (os complexados que se danem)! Depois a couple of years de virtualismos, depois dos 7 meses mais longos do calendário... setembro has arrived!!!!!!

Pra vocês terem uma idéia de como eu fiquei e ainda estou feliz, chegou multa pra mim enquanto eu estava lá. Dane-se a multa! Além disso, minha caixa de email ultrapassa os 300... mas azar... vou fazer como sempre faço: roleta russa.

Saudade que eu estava de viajar. Tirei bastante foto, mas só vou colocar uma aqui, com as minhas roomates de congresso. As outras fotos, os outros fatos, as outras coisas legais que aconteceram eu guardo pra mim. Essa felicidade é pra eu desfrutar egoisticamente. E ontem eu brindei com Freixenet. E hoje eu brindo com vinho do Porto, ganhado diretamente de Portugal.

Brindo à (provavelmente, quase certamente) única pessoa que entenderá esse post na íntegra! E brindo ao som de BEP - I gotta feeling.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Atualizar é bom!

Sim. I'm back. Eu sempre volto. Demora, mas volto. Muita coisa aconteceu desde a última postagem que nem lembro mais que data foi. Acabei matando a vontade de sushi. Minha vida briófita está em altos e baixos. Revolução de sentimentos, raivas, paixões, alguns 'vai tomá no cú' que eu deveria ter dito e não disse. Essa bosta de ser comedida com quem não merece. Go to hell!!!

Muita música. Minha vida está sendo movida pela música. Música de dançar, música de pensar, música de fazer nada. E livros. Engatei um no outro. Livro bobo, livro sério, artigo científico.

E academia. Every single fucking day. Minha bengala, onde dissipo toda a raiva e estresse do dia, da semana, do mês, do ano ou da última década. Comecei a lutar boxe. Excelente. Sabe aquela aula que tu sai tão podre que não dá ânimo nem de comer depois ou tomar banho?? Pois é essa. Faço boxe de 3 a 4 vezes por semana. Só tenho que cuidar a mão do bisturi senão to bem fud....

E como não poderia faltar: trabalho. Morra trabalhando! Quem mandou não nascer rica ou casar com marido rico? Toca trabalhar, escrava Isaura. É bom, mas é ruim. É ruim quando tenho que aturar gente chata e fazer cara de quem está amando. E uma bosta quando tem que explicar coisas técnicas pra quem não sabe nem a tabuada direito.

Mas é isso... estou assim, meio pimenta, meio salsa, meio sonsa também.

Semana que vem vou pra Sampa. Primeira vez. Não, não.. nada de férias. Viagem pra congresso da especialização. Mas óbvio que vou pra balada. Nunca se sabe quando vai se encontrar um gatinho paulista. Ainda mais quando se tem quedinha por paulista. Ai, ai...

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Vontade imensa de comer um belo sushi... mas... tive que contentar com ovo cozido.

:(

sábado, 4 de julho de 2009


Bom, pra eu ter voltado aqui é porque a coisa tá russa. Na real eu me irrito comigo mesma. Ingenuidade elevada na enésima. Careta, crente na vida e nas pessoas. Nada descolada, ou VIP, ou TOP ou o diabo a quatro!

Estou longe de ser uma pessoa melosa, que gruda feito chiclete e tal... mas tenho lá meus sentimentos. Gosto bastante de ter o meu espaço, mas sei lá... eu realmente acredito que existe amor e que vale a pena viver nesse mundo e ter filhos e essas coisas de gente grande. Na real eu tenho medo disso tudo.

Fico triste com um monte de coisas, me frustro por não conseguir fazer nada a respeito de algumas delas. Odeio ver as coisas erradas e deixar elas erradas. Odeio gente que mente, que prejudica os outros, gente falsa, gente ruim mesmo, entende?

Torço muito pra que todos os meus amigos de verdade sejam sempre muito felizes. E hoje eu agradeço muito a Deus pelos amigos que tenho! Uns lá, outros cá... mas todos moram no meu coração junto com o meu tricolor. Esse tricolor que não tá me dando muitas alegrias mas que jamais abandonarei.

Talvez eu esteja precisando me apaixonar, mas não sei se é uma boa idéia. Sinceramente, o pouco que eu sei é que sei muito pouco. Mas a gente vai levando, vai fazendo terapia de boteco aqui e ali (ai, como eu adoro!), vai levando a vida, o trabalho, a academia, a especialização. E é bom. E tudo sempre dá certo no final. E se não deu certo é porque o final não chegou (frase batida, mas é verdade).

Felicidade a todos os meus amigos!!! Amo vocês!!!

terça-feira, 23 de junho de 2009

Para refletir!

“Depois de algum tempo você aprende a diferença,
a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.

E você aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.

E começa a aprender que beijos não são contratos
e presentes não são promessas.

E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida
e olhos adiante, com a graça de um adulto
e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.

Depois de um tempo você aprende que o sol queima
se ficar exposto por muito tempo.

E aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam…

E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.

Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se leva anos para se construir confiança
e apenas segundos para destruí-la,
e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida.

Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias.

E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você é na vida.

E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher.

Aprende que não temos que mudar de amigos
se compreendemos que os amigos mudam,
percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa,
ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida
são tomadas de você muito depressa,
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos
com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos.

Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos.

Começa a aprender que não se deve comparar com os outros,
mas com o melhor que você mesmo pode ser.

Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto.

Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo,
mas se você não sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve.

Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão,
e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação,
sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as conseqüências.

Aprende que paciência requer muita prática.

Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute
quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência
que se teve e o que você aprendeu com elas
do que com quantos aniversários você celebrou.

Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha.

Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens,
poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia
se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva,
mas isso não lhe dá o direito de ser cruel.

Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer
que ame, não significa que esse alguém não o ama,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,
algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo.

Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.

Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.

Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
Portanto,plante seu jardim e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.

E você aprende que realmente pode suportar…
que realmente é forte, e que pode ir muito mais
longe depois de pensar que não se pode mais.

E que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida!

Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem
que poderíamos conquistar, se não fosse o medo de tentar."

Shakespeare

domingo, 21 de junho de 2009

domingo, 31 de maio de 2009

Com elas sempre é bom.



E divertido também. Nossa segunda 'noite das meninas' desse ano. Amei. Tá, na hora do filme confesso que dormi (tava cansada, fazer o quê?). A noite começou com a minha jornada ao Bourbon... 40 minutos lá dentro só pra comprar o vinho e o sorvete. Todo o povo de Canoas city resolver sair naquela chuva pra comprar comida.

Depois veio a parte de tomar banho frio, já que o gás tá no final desde o início da semana. Coisa bem boa tomar banho frio no inverno, grrrrr. Fui pra Desi e lá nos entupimos de fondue de queijo, sorvete e vinho. Nham, nham... Daí a Desi e a Luize viram um filme enquando eu dormia toda torcida por cima do braço do sofá. Dá-lhe torcicolo. Fomos dormir. Começa então a caçada aos mosquitos. Pronto, fomos dormir: Luize, Desi, eu, 2 cadelas e os 2 gatos. Isso sem falar no aquário que fica no quarto dela. Quarto mega populoso!

E hoje teve café-da-manhã às 11h. Daí fomos dar bandinha de carro (tempo que eu não fazia isso). Desirée e eu berrando Aerosmith no carro pra todo mundo achar que éramos loucas. E sim, de fato somos mesmo. E quem não é louco que atire a primeira pedra. Filamos o café-da-tarde na minha vó e fizemos escala na casa da Nanda pra brincar com a cadela. E então foi minha vez de filar um banho quentinho (coisa que não tenho aqui em casa) lá na Desi.

E meu domingo terminou assim. Sem depressões noturnas dominicais, sem musiquinha infame do Fantástico, sem nada pra me deixar deprê só pelo fato de ser domingo. Passei adiante essa fase.

Pequena amostra da nossa cantoria:

domingo, 24 de maio de 2009

Tive que postar de novo...

... porque é perfeito demais.

"Eu tava mexendo no violão, comecei a fazer a melodia e aí a primeira coisa que apareceu foi exatamente cidade submersa. Isolado de tudo porque cantarolando parecia que a música queria dizer isso e eu tinha que ir atrás depois, tinha que explicar essa cidade submersa, tinha que criar uma história. Apareceu exatamente a cidade submersa antes de qualquer outra coisa. Aí eu coloquei os escafandristas e esse amor adiado, esse amor que fica pra sempre, essa idéia do amor que existe como algo que pode ser aproveitado mais tarde, digamos que não se desperdiça. E passa o tempo, passam-se milênios e aquele amor vai ficar até debaixo d'água. E vai ser usado por outras pessoas, amor que não foi utilizado porque não foi correspondido, então ele fica ímpar, pairando ali, esperando que alguém apanhe e complete a sua função de amor."
Ele é simplesmente genial. Aí vai a letra:

Futuros Amantes (Chico Buarque)

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Paródias...

.. mas dá pena dos filminhos da minha infância...







domingo, 17 de maio de 2009

Quem diria...

Alguém já teve vontade de ficar dançando no quarto, sozinho, em pleno domingo de noite (momento da semana em que bate a deprê), sem ter ganhado na mega sena e sem explicação aparente???

Quem souber a resposta... pode dizer aí!

PS: vontade repentina de aprender a dançar tango... tal qual o Banderas no filme "Take the lead".

Boa semana a todos.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Gremista 4ever!!

Depois de receber algumaS cantadaS no trajeto da Duque de Caxias até o Mercado Público (argh!) me deparo com a cena que alegrou meu dia: uma caravana de gremistas saindo da estação de trem, dirigindo-se ao estádio e cantando ao meu eterno tricolor!!!

Dá-lhe, dá-lhe tricolor, (de fato) o meu único amor!!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

What a fuck...


Pois é, liguei o foda-se. Tô fazendo só aquilo que me dá vontade. Segunda-feira senti vontade de sair no meu almoço e torrar $$ em roupa. Depois, senti vontade de cancelar alguns compromissos depois do trabalho pra poder tomar trago e fazer terapia de boteco com um amigo. Daí terça eu tava o dia todo de bobeira até que lá pelas 21h fui pro boteco de novo. Mais terapia de botequim. E sabem o que é melhor? Funciona!

E tava indo tudo bem até que recebo uma multa com meu carro em SC. Detalhe: nunca fui com meu carro pra Santa. Ok, clonagem, clonagem... Após a ótima notícia da multa e eu sair ligando pra Deus e o mundo pra pedir uma orientação de como proceder, fui pra reunião da minha turma do pós. Tá o caos. Um monte de nome de advogado que nem faço idéia do que signifique. Saí da reunião mais de 22h e fui pra DP fazer a tal ocorrência por causa da multa.

Daí, hoje... indo pro trabalho, na BR... Acidente, congestionamento, PF, PRF, SAMU e todas as outras siglas possíveis no lugar. Segunda tranqueira que pego na semana... E dá-le rodar cd pra esperar o tempo passar no meio do congestionamento.

Por isso que larguei de mão. Ser 'bonzinho' não adianta porque bonzinho só se fode (SEM o perdão da palavra). Logo... é por essas e outras que adotei meu novo lema: "Do what you want... just do it" e liguei o foda-se.

domingo, 19 de abril de 2009

Sim, sou mega careta. Já tentei ter momentos de modernice, mas não dá. E digo mais, pra tirar o 'single' do orkut vai demorar... Vai ter que rebolar!

Boa semana!

domingo, 12 de abril de 2009




Pois é... síndrome de domingo de noite. Na verdade tenho pavor de domingo. Nunca gostei. E hoje meu domingo foi mega entediante. Sequer botei o nariz pra fora de casa. Não fiz nada do que eu tinha que fazer. Só fiquei deitada na cama com raiva do mundo. Com raiva de mim mesma por ser tão idiota, ingênua e por esperar demais das pessoas. E sei que estou reclamando de barriga cheia, mas azar... estou com vontade de reclamar mesmo. Mas sei que amanhã vai estar tudo bem e que esse post será totalmente descabido. Azar... de novo. Só parece que não pertenço a esse lugar sometimes. Sei lá... estranho, sabe...

Pelo menos meu domingo serviu pra botar em dia meus episódios de Dr. House (I'm a big fan of Wilson), o episódio da semana passada foi totalmente surpreendente. Depois vi Kung Fu Panda (bem fofo) e também assisti "A lenda", filme com Tom Cruise quando ele era bem novinho e normal.

Enfim... viva a segunda-feira!

terça-feira, 17 de março de 2009

domingo, 15 de março de 2009

Ceva + pizza + fofocas...


... essa foi a noite de meninas que fizemos nesse findi. Luize, Desi e eu (depois de muuuuuito tempo sem nos encontrarmos) relembramos várias coisas da época de cursinho pré-vestibular e curso de inglês. Foi muito bom. Botar em dia todos os acontecimentos levou um bocado de tempo. Contei pra elas como estou gostando desses meus dias de solteira. Eu tinha esquecido como é bom e como é importante pegar um tempo só pra nós. Fazer tudo que se tem vontade, viajar pra onde bem entender, fazer quantas festas quiser, conhecer gente nova, poder ficar em casa sozinha na noite de sexta enchendo a cara, ver filmes melosos várias vezes ou mesmo passar o domingo todo de pijama por pura preguiça de trocar de roupa.

Depois de muita conversa a Luize foi embora e eu fiquei pra dormir na Desi. Fiz a caça aos mosquitos do quarto dela, só eu matei uns 10. Então ficamos relembrando as conversas bizarras e criativas que rolavam há cerca de 10 anos. Dá muita saudade... Relembramos nossas escolhas, decisões que tomamos e que acabaram por nos trazer até aqui. Os ex vieram à tona, os porquês de ter dado certo enquanto durou e depois cada um ter ido pro seu lado. Acontece. De nós três a Desi é a única que está namorando... Confesso que sinto falta dela solteira... Saudades de quando a gente vivia no cinema, fazia festa na faculdade, de quando eu vivia na casa dela e essas coisas...

Felizmente ou infelizmente esse é o curso natural das coisas... As amigas vão ficando mais velhas e seguindo a sua vida, buscando conquistas profissionais, buscando constituir família ou ambos. Dá medo de pensar que daqui algum tempo não teremos mais 'noites de meninas' porque talvez estejamos casadas e com filhos. Ou morando em outra cidade, né Desi? Ou então em outro país (vocês podem me visitar sempre!!).

Tem vezes que eu queria ser o Peter Pan...

Boa semana!

segunda-feira, 2 de março de 2009

Arnaldo Jabor fala...

NINGUÉM MAIS NAMORA AS DEUSAS

MULHERES

Outro dia, a Adriane Galisteu deu uma entrevista dizendo que os homens não querem namorar as mulheres que são símbolos sexuais. É isto mesmo.
Quem ousa namorar a Feiticeira ou a Tiazinha?
As mulheres não são mais para amar; nem para casar. São para "ver".
Que nos prometem elas, com suas formas perfeitas por anabolizantes e silicones?
Prometem-nos um prazer impossível, um orgasmo metafísico, para o qual os homens não estão preparados...
As mulheres dançam frenéticas na TV, com bundas cada vez mais malhadas, com seios imensos, girando em cima de garrafas, enquanto os pênis-espectadores se sentem apavorados e murchos diante de tanta gostosura.
Os machos estão com medo das "mulheres-liquidificador".
O modelo da mulher de hoje, que nossas filhas ou irmãs almejam ser (meu Deus!), é a prostituta transcendental, a mulher-robô, a "Valentina", a "Barbarela", a máquina-de-prazer sem alma, turbinas de amor com um hiperatômico tesão.
Que parceiros estão sendo criados para estas pós-mulheres? Não os há.
Os "malhados", os "turbinados" geralmente são bofes-gay, filhos do mesmo narcisismo de mercado que as criou.
Ou, então, reprodutores como o Zafir, para o Robô-Xuxa.
A atual "revolução da vulgaridade", regada a pagode, parece "libertar" as mulheres.
Ilusão à toa.
A "libertação da mulher" numa sociedade escravista como a nossa deu nisso: Superobjetos. Se achando livres, mas aprisionadas numa exterioridade corporal que apenas esconde pobres meninas famintas de amor, carinho e dinheiro.
São escravas aparentemente alforriadas numa grande senzala sem grades.
Mas, diante delas, o homem normal tem medo.
Elas são "areia demais para qualquer caminhãozinho".
Por outro lado, o sistema que as criou enfraquece os homens.
Eles vivem nervosos e fragilizados com seus pintinhos trêmulos, decadentes, a meia-bomba, ejaculando precocemente, puxando sacos, lambendo botas, engolindo sapos, sem o antigo charme "jamesbondiano" dos anos 60.
Não há mais o grande "conquistador".
Temos apenas os "fazendeiros de bundas" como o Huck, enquanto a maioria virou uma multidão de voyeur, babando por deusas impossíveis.
Ah, que saudades dos tempos das bundinhas e peitinhos "normais" e "disponíveis"...
Pois bem, com certeza a televisão tem criado "sonhos de consumo" descritos tão bem pela língua ferrenha do Jabor (eu).
Mas ainda existem mulheres de verdade.
Mulheres que sabem se valorizar e valorizar o que tem "dentro de casa", o seu trabalho.
E, acima de tudo, mulheres com quem se possa discutir um gosto pela música, pela cultura, pela família, sem medo de parecer um "chato" ou um "cara metido a intelectual".
Mulheres que sabem valorizar uma simples atitude, rara nos homens de hoje, como abrir a porta do carro para elas.
Mulheres que adoram receber cartas, bilhetinhos (ou e-mails) românticos!!
Escutar no som do carro, aquela fitinha velha dos Beegees ou um cd do Kenny G (parece meio breguinha)...mas é tão boooom namorar escutando estas musiquinhas tranquilas!!!
Penso que hoje, num encontro de um "Turbinado" com uma "Saradona" o papo deve ser do tipo:
-"meu"... o meu professor falou que posso disputar o Iron Man que vou ganhar fácil!."
-"Ah "meu"..o meu personal Trainner disse que estou com os glúteos bem em forma e que nunca vou precisar de plástica". E a música???
Só se for o "último sucesso (????)" dos Travessos ou "Chama-chuva..." e o "Vai serginho"???...
Mulheres do meu Brasil Varonil!!! Não deixem que criem estereótipos!!
Não comprem o cinto de modelar da Feiticeira. A mulher brasileira é linda por natureza!!
Curta seu corpo de acordo com sua idade, silicone é coisa de americana que não possui a felicidade de ter um corpo esculpido por Deus e bonito por natureza. E se os seus namorados e maridos pedirem para vocês "malharem" e ficarem iguais à Feiticeira, fiquem... igual a feiticeira dos seriados de Tv:
Façam-os sumirem da sua vida!

domingo, 1 de março de 2009

Curto pacas...

... but, unfortnatelly, they're gone.








quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Quem lembra?






E pra quem curte muito "The 80's" tem a rádio balonê, nesse site aqui.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Reggae

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Frase do dia...

... por Dráuzio Varella:

"No mundo atual está se investindo cinco vezes mais em remédios para virilidade masculina e silicone para mulheres do que na cura do mal de Alzheimer. Daqui a alguns anos teremos velhas de peitos grandes e velhos de pinto duro, mas que não se lembrarão para que servem."

BOA, MUITO BOA!!!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Faltou uma...

A pedido de alguém especial!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Feriadão...

... sem praia. Mas não importa! Consegui me divertir bastante:

- banho de sol com direito à banho de piscina com a minha amiga Juju + sorvete com calda de Stickadinho na casa da Ana + 3 refeições seguidas de pizza (sendo uma delas da La Pizza Mia) + Tangos e Tragédias + soninho até 12h + seriados de TV + cervejinha sozinha em casa + chocolate Alpino + estudos estafantes pra prova do pós (tá, essa parte não chega a ser divertida, mas é necessária) + centro espírita!

E amanhã.... BLÉRGH... tudo igual ao de sempre!

Boa semanita a vocês!

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Descobrindo...


Faz muito, muito, mas muito tempo mesmo que esse blog deixou de ser o que era no início. Dia desses estive relendo os posts 'da antiga'... Nossa... muita coisa aconteceu desde que comecei a escrever aqui. Na verdade esse blog não tem mais a minha identidade. Mesmo porque nem eu sei direito qual é a minha identidade. A cada dia descubro uma coisa diferente sobre mim.

Descobri que gosto de beber quando estou sozinha, descobri que me magôo mais facilmente do que eu pensava, descobri que sou uma sonhadora que ainda acredita no amor e na boa fé das pessoas. Descobri também que não gosto de ficar sozinha em casa, descobri que tenho medo de perder o contato com as minhas amigas mais queridas e, por tabela, acabei descobrindo que isso vai acabar acontecendo, inevitavelmente.

Descobri que não quero 'curtir a vida adoidada' com qualquer um que apareça só porque é bonitinho (ou jeitosinho) ou só pra eu não ficar sozinha. Descobri que morro de medo de perder as pessoas que amo, principalmente minha família, principalmente meu pai. Nesses dias descobri ainda que morro de medo da minha mãe abandonar o consultório e me deixar lá com tudo. Não quero que ela saia de lá. Não quero que meus pais se mudem daqui.

Descobri que não tenho mais o dom de escrever nisso aqui. E que talvez já foi o tempo de ter um blog. Descobri que estou numa fase totalmente Renato Russo e, por conseguinte, é com ele que estou me identificando mais nesse momento.

Descobri que algumas das coisas que quero não dependem somente da minha vontade, se fosse assim, eu ia criar um mundo perfeito pra mim. Mas ele nunca será perfeito. Descobri que não quero que a minha vida seja uma coisinha sem graça, normalzinha, previsível.

Percebi que muitas pessoas que se diziam minhas amigas, na verdade nunca o foram. Era apenas um poço de energias negativas. Aprendi, com isso, a levantar um escudo contra essas pessoas. Descobri que estou mais 'dura' que tempos atrás. Que não me comovo mais por qualquer coisinha, que não acredito mais em 'palavras bonitas', que o que eu espero de verdade é a atitude das pessoas.

Também descobri que não é qualquer xa-la-lá que me convence, não é um rostinho bonito que me fascina. Eu quero conteúdo, quero vida, quero estar rodeada de gente do bem, quero estar perto das minhas amigas, mesmo num ano que sei que muitas irão tomar outros rumos. Liese, Jucs, Mari, Roberta, Ana, Lari... Todas vocês (e tantas outras) moram no meu coração!

E 2009 é o ano das mudanças pra todas nós. Cada uma no seu destino, cada uma rumando pra um caminho diferente... Umas pra bem longe, outras nem tanto... Mas uma coisa é certa... nunca, mas nunca mais mesmo, o lugar que trabalhamos será o mesmo depois da nossa partida! Um grupo como o nosso é dfícil de ser formado e espero que seja ainda mais difícil de ser desfeito! Vou morrer de saudades de vocês! E pra matar essa saudade sempre terá o Loss pra marcar um happy hour, né girls?

Mas a maior de todas as descobertas que fiz essa noite, é que não posso (apesar de gostar) beber sozinha em casa, às 2h da madrugada! Taí o post... deu no que deu.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Disappointed for hoping more than people can give me.

sábado, 24 de janeiro de 2009

Aniversário do Taiada!

Em homenagem ao meu amiguitcho Nelsito!!! (meu pai adorou, viu Nelsito!

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Vícios picantes!

Dez coisas más que são muito divertidas

1- Beber até causar constrangimento
2- Dormir até depois do meio-dia
3- Comprar a crédito
4- Fazer sexo com um ex
5- Jogar
6- Comer molho cremoso
7- Ligar para o trabalho dizendo-se doente
8- Ficar acordado até tarde
9- Fofocar
10- Tramar uma vingança

Retirado do "Manual do Hedonista de Michael Flocker", o qual a Dra. Mariana me emprestará depois, né, Mari?

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Boas, muito boas...

Não preciso nem comentar... Quem gosta, gosta.

















sábado, 17 de janeiro de 2009

Vale a pena!

Uma antiga lenda norueguesa narra este episódio sobre um homem chamado Haakon, que cuidava de uma ermida à qual muita gente vinha orar com devoção. Nesta ermida havia uma cruz muito antiga, e muitos vinham ali para pedir a Cristo que fizesse algum milagre.

Certo dia o eremita Haakon quis também pedir-lhe um favor. Impulsionava-o um sentimento generoso. Ajoelhou-se diante da cruz e disse:

- Senhor, quero padecer por vós. Deixai-me ocupar o vosso lugar. Quero substituir-vos na cruz.

E permaneceu com o olhar pendente da cruz, como quem espera uma resposta. O Senhor abriu os lábios e falou. As suas palavras caíam do alto, sussurrantes e admoestadoras:

- Meu servo, cedo ao teu desejo, mas com uma condição.
- Qual é, Senhor?, perguntou com acento suplicante Haakon. - É uma condição difícil? Estou disposto a cumpri-la com a tua ajuda!
- Escuta-me: Aconteça o que acontecer, e vejas tu o que vires, deves guardar sempre o teu silêncio.

Haakon respondeu:

- Prometo-o, Senhor!

E fizeram a troca sem que ninguém o percebesse. Ninguém reconheceu o eremita pendente da cruz; quanto ao Senhor, ocupava o lugar de Haakon. Durante muito tempo, este conseguiu cumprir o seu compromisso e não disse nada a ninguém. Certo dia, porém, chegou um rico. Depois de orar, deixou ali esquecida a sua bolsa. Haakon viu-o e calou. Também não disse nada quando um pobre, que veio duas horas mais tarde, se apropriou da bolsa do rico. E também não quando um rapaz se prostrou diante dele pouco depois para pedir-lhe a sua graça antes de empreender uma longa viagem.

Nesse momento, porém, o rico tornou a entrar em busca da sua bolsa. Como não encontrasse, pensou que o rapaz se teria apropriado dela. Voltou-se contra ele e interpelou com raiva:

- Dá-me a bolsa que me roubaste!!

O jovem, surpreso, replicou-lhe:

- Não roubei nenhuma bolsa!
- Não mintas, devolve-me já!
- Repito que não apanhei nenhuma bolsa!

O rico arremeteu furioso contra ele. Soou então uma voz forte:

- Pára!

O rico olhou pra cima e viu que a imagem lhe falava. Haakon, que não conseguiu permanecer em silêncio diante daquela injustiça, gritou-lhe, defendeu o jovem e censurou o rico pela falsa acusação. Este ficou aniquilado e saiu da ermida. E o jovem saiu também porque tinha pressa para empreender a sua viagem.

Quando a ermida ficou vazia, Cristo dirigiu-se ao seu servo e disse-lhe:

- Desce da cruz. Não serves para ocupar o meu lugar. Não soubeste guardar silêncio.
- Mas, Senhor, como podia eu permitir essa injustiça?

Trocaram de lugar. Cristo voltou a ocupar a cruz e o eremita permaneceu diante dela. O Senhor continuou a falar-lhe:

- Tu não sabias que era conveniente para o rico perder a bolsa, pois trazia nela o preço da virgindade de uma jovem. O pobre, pelo contrário, tinha necessidade desse dinheiro; quanto ao rapaz que ia receber os golpes, as suas feridas o teriam impedido de fazer a viagem que, para ele, foi fatal: faz uns minutos que seu barco acaba de soçobrar e que ele se afogou. Tu também não sabias isto, mas Eu sim. E por isso me calo.

E o Senhor tornou a guardar silêncio.

Muitas vezes nos perguntamos por que Deus não nos responde. Por que Deus se cala? Muitos de nós gostaríamos que nos respondesse o que desejamos ouvir, mas Ele não o faz: responde-nos com o silêncio. Deveríamos aprender a escutar esse silêncio.

O Divino Silêncio é uma palavra destinada a convencer-nos de que Ele, sim, sabe o que faz. Com o Seu silêncio, diz-nos carinhosamente:

"Confia em mim, sei o que é preciso fazer!"

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Amoooo!!!


Eu simplesmente amo sair e conversar fiado com as amigas!!! Coisa mais boa!!! E o melhor foi que nem chegamos a falar de trabalho! Tá... quase!

E todas nós estamos com muitos planos pra esse ano. Já sei que vou morrer de saudades de todas vocês!!! Quero que continuemos sempre amigas!

Amo vocês!!!

PS: tem muita gente faltando nessa foto... mas todas elas moram no meu coração!